O crime ocorreu no portão da casa do assassino. A vítima tinha ido ao local para negociar uma dívida com a filha do criminoso, quando o desentendimento ocorreu.

 

A bancária Vilma Aparecida Bombardi, 45 anos, ainda gritou por socorro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu nos braços da própria filha. O assassino fugiu com a arma do crime.