Rojões: projeto para proibir é retirado de pauta; prefeitura faz licitação para compra de fogos para ano novo

137

Leonardo Filho – Equipe Pinga Fogo

O projeto que previa a proibição da queima, soltura e manuseio de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos, do vereador Flávio Mantovani foi retirado de pauta, por uma sessão. O autor pretende realizar adequações no texto para que apenas em eventos públicos, esse tipo de show seja proibido.

“A nossa ideia é que esse projeto seja aprovado com essa adequação no texto e já entre em vigor neste fim de ano. O objetivo é proibir a realização de shows pirotécnicos na cidade. A ideia é proteger não apenas os animais, mas os autistas, idosos e pessoas que não gostam desse tipo de barulho”, explicou Mantovani.

O texto que foi apresentado inicialmente não especificada e causou polêmica entre vereadores. “O projeto é inconstitucional. Com certeza, se for aprovado, terão várias liminares derrubando essa lei”, argumentou o vereador Odair Fogueteiro – que também é empresário do ramo de fogos de artifício.

Licitação
Segundo Mantovani, caso o projeto seja aprovado, a ideia é impedir a queima de fogos prevista para este fim de ano. De acordo com a licitação publicada no Portal da Transparência da prefeitura de Maringá, o município pretende contratar empresa para a prestação de serviço de shows pirotécnicos compreendendo três shows da virada do ano de 2019/2020.

Os eventos estão previstos para Maringá e distritos de Iguatemi e Floriano. A prefeitura pretende gastar até R$ 150.323 nesse processo. A abertura das propostas está marcada para o dia 14 de novembro. “Vamos tentar impedir que seja realizado esse show pirotécnico”, finalizou o autor do projeto. O novo debate na Câmara será na próxima semana.


OUÇA A REPORTAGEM DA RÁDIO DO PINGA FOGO – 870AM