Sarampo: dois casos são confirmados em Maringá

57

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou quatro novos casos de sarampo no Paraná. Dois deles são em Maringá. Agora, o Paraná conta com 13 casos confirmados de sarampo. O Informe Epidemiológico número quatro, divulgado nesta quinta (19), indica que 147 casos estão em investigação e um grupo de 20 pacientes já tiveram os exames negativos para a doença. Além dos dois casos de Maringá as confirmações foram registradas em Curitiba e um de Ponta Grossa, com faixa etária de todos entre 20 e 29 anos.

“Embora todos os 13 casos sejam importados, sendo que 12 pessoas viajaram para São Paulo e uma para Santa Catarina, a circulação do vírus está acontecendo e ampliando o seu território no Estado. Por isso é importante estar vacinado”, alertou o secretário de estado da saúde, Beto Preto.

Os municípios que tiveram pacientes com registros de sarampo confirmados são Campina Grande do Sul, Curitiba, Ponta Grossa, Maringá, Rolândia e Jacarezinho. Curitiba aparece no informe com o maior número de casos – são sete confirmações. Em Maringá são dois pacientes e nos demais municípios uma confirmação.

A maior incidência de sarampo incide na faixa de idade entre 20 e 29 anos, com oito casos confirmados. Na faixa etária entre 40 e 49 anos estão confirmados dois casos. Entre 10 e 19 anos, 30 e 39 anos e 50 a 59 anos foi confirmado um caso em cada faixa de idade.

Até o início de agosto, o Paraná estava há 20 anos sem registro da doença. O último caso antes de 2019 aconteceu em 1999, remanescente do surto ocorrido no ano anterior. Em 1998 houve 873 casos no Paraná e um óbito decorrente de complicações da doença.

DOENÇA – O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de cinco anos e podem causar meningite, encefalite e pneumonia, entre outras. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro. As micropartículas virais ficam suspensas no ar, por isso o alto poder de contágio da doença.

Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, coriza, conjuntivite, exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo). Podem ocorrer ainda outros sintomas como cefaleia, indisposição e diarreia. Como não existe tratamento específico para o sarampo é importante ficar atento ao aparecimento dos sintomas.